segunda-feira, 30 de novembro de 2009

POR TI DAREI A MINHA VIDA


O tema da campanha de Missões Nacionais em 2009 tem a finalidade de nos levar a refletir sobre a forma como temos dedicado nossas vidas à obra de transformação do Brasil pelo Evangelho de Cristo.

Cada um de nós tem a tendência de dedicar suas forças aos temas que lhes são importantes.

Temos a missão de ajudar a consertar um Brasil quebrado pelo pecado, que tem destruído vidas. Não podemos aceitar os estragos que a violência, a dependência química, a prostituição infantil, a desonestidade, entre outros, têm feito nas vidas dos brasileiros. É preciso sentir um impulso que nos leve à frente não olhando para as dificuldades, mas sim para a necessidade de uma nação que clama por esperança, que precisa ser salva da destruição.

É preciso experimentar o mesmo sentimento de Moisés ao ver seu irmão hebreu sendo espancado por um egípcio. A iniciativa de Moisés ali na defesa foi o início de uma grande obra de libertação do povo.

Nossos corações precisam bater mais forte pela obra missionária! Ao viver isso, não olharemos mais para as dificuldades e tampouco para as desculpas que podemos usar para que nosso envolvimento tenha os limites de nossas possibilidades.

Ao dizer “por ti, darei a minha vida” não estamos olhando para o que podemos fazer, mas sim crendo no que Deus pode fazer por intermédio de nossas vidas! E isso é ilimitado e muito além daquilo que podemos imaginar.

Consagrando nossas vidas para a obra missionária seremos instrumentos nas mãos do Senhor para levar esperança aos discriminados pela sociedade, aos abandonados por uma estrutura fria e distante, que nada faz para a verdadeira transformação. Comprometidos com o Senhor da obra missionária, avançaremos de tal forma que a luz de Cristo brilhe em nossa nação obscurecida pelas trevas profundas da destruição.

Fazendo nossa a declaração do tema da campanha de 2009 estaremos assumindo uma posição de entrega de tudo o que somos e temos a fim de que o Senhor da seara opere o milagre da restauração de vidas.

Não podemos aguentar tudo o que está acontecendo à nossa volt sem uma reação santa na direção de mudar o contexto em que estamos inseridos. Devemos nos sentir incomodados com tudo isso e, a partir deste incômodo, assumir a responsabilidade de agir para mudar.

Ao longo da história da humanidade, muitos servos do Senhor levantaram-se contra o que estava acontecendo e foram usados por Deus para uma transformação profunda da realidade na qual estavam inseridos. Gente de fé, dependentes de Deus, e por isso foram instrumentos úteis. Noé, Moisés, Paulo, Lutero, Martin Luther King, entre muitos, foram instrumentos nas mãos de Deus para mudar situações que lhes causavam incômodo.

Estes indivíduos mudaram a história. Deixaram marcas para serem ouvidos, mesmo já mortos, para sempre. Eles acreditavam fielmente na promessa de um Grande Libertador. Promessa cumprida em Jesus.

Por causa desta “nuvem de testemunhas” (Hb 1.1) que o Evangelho de Cristo chegou até nós. Eles cumpriram a missão que receberam.

Cabe a mim e a você, a partir da consciência da nossa responsabilidade, agir para cumprir a missão que recebemos, dando a nossa vida para a obra transformadora que Jesus quer realizar por meio de nós.

Aceite este desafio e seja agente transformador de vidas pela graça de Jesus, para alegria nossa e glória do nosso Deus.

Pr. Davidson Pereira de Freitas
Gerente Executivo de Planejamento e Estratégia
Fonte: www.missoesnacionais.org.br

Conhecer o Amor de Deus está Além da Nossa Imaginação


Deus é amor: Como definimos amor?
“Deus é amor”, mas como podemos definir esse sentimento? O Dicionário de Herança Americana define amor como “uma intensa afeição por uma outra pessoa baseada em laços pessoais ou familiares”. Frequentemente, essa “intensa afeição“ surge de uma atração sexual pela outra pessoa. Amamos outras pessoas, ou dizemos que amamos outras pessoas, quando somos atraídas a elas e quando elas nos fazem se sentir bem. Note que uma frase chave na definição de amor encontrada no dicionário é a frase “baseada em”. Esta frase implica que amamos condicionalmente; em outras palavras, amamos alguém porque eles cumprem a condição que exigimos para que possamos amá-los. Quantas vezes você já escutou ou disse: "eu amo você porque você é simpático"; ou “eu amo você porque você cuida de mim”;ou “eu amo você porque sempre me divirto quando estou ao seu lado”?

Nosso amor não só é condicional, mas também inconstante. Nosso amor é baseado em emoções e sentimentos que podem mudar de um momento para o outro. A taxa de divórcio é extremamente alta na sociedade de hoje porque maridos e esposas param de um amar uns aos outros depois que se “desapaixonam”. Eles podem passar por uma fase difícil no casamento, e não “sentem” mais amor por seu esposo ou esposa, então eles pulam fora. Evidentemente, o voto de seu casamento de “até que a morte nos separe” significa que eles podem se separar quando o amor por seu cônjuge morre, ao invés de sua morte física.

Será que alguém pode realmente compreender amor “incondicional”? Parece que o amor que os pais sentem por seus filhos é o mais perto de amor incondicional que podemos alcançar sem a ajuda de Deus nas nossas vidas. Continuamos a amar nossos filhos através dos tempos bons e ruins, e não paramos de amá-los mesmo quando não atingem nossas expectativas. Fazemos a escolha de amar nossos filhos mesmo quando os consideramos difíceis de serem amados; nosso amor não acaba mesmo quando não "sentimos" amor por eles. Isso é parecido com o amor de Deus para conosco, mas como veremos em breve, o amor de Deus ultrapassa a definição humana de amor ao ponto que é difícil de realmente compreender.

Deus é amor: Como Deus define amor?
A Bíblia nos diz que "Deus é amor" (1 João 4:8). Mas como podemos começar a entender essa verdade? Há várias passagens na Bíblia que nos dão a definição de Deus para o amor. O verso mais conhecido é João 3:16: "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." Então uma forma que Deus define amor é com o ato de dádiva. No entanto, o que Deus deu (quer dizer, "quem" Ele deu) não foi um simples presente embrulhado; Deus sacrificou Seu único Filho para que nós, os que colocamos nossa fé nEle, não passássemos a eternidade separados de Deus. Esse é um amor incrível, porque somos nós que escolhemos permanecer separados de Deus através de nossos próprios pecados, mas é Deus quem conserta essa separação através de Seu grande sacrifício pessoal, e tudo que precisamos fazer é aceitar esse presente.

Um outro verso excelente sobre o amor de Deus é encontrado em Romanos 5:8: "Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores”. Assim como em João 3:16, não é mencionado nesse versículo nenhuma condição imposta por Deus para o Seu amor. Deus não diz: "assim que você colocar sua vida em ordem, eu vou amar você". Ele também não diz: "Sacrificarei meu Filho se você prometer me amar". Na verdade, encontramos justamente o contrário em Romanos 5:8. Deus quer que saibamos que Seu amor é incondicional, por isso Ele mandou Seu Filho, Jesus Cristo, para morrer por nós quando ainda éramos pecadores que não mereciam ser amados. Não tínhamos que arrumar nossas vidas, nem tínhamos que fazer promessas a Deus para que pudéssemos experimentar do Seu amor. Seu amor por nós tem sempre existido, e, por causa disso, Ele já deu e sacrificou tudo que era necessário muito tempo antes de percebermos que precisávamos de Seu amor.

Deus é amor: É incondicional
Deus é amor, e seu amor é bem diferente do amor humano. O amor de Deus é incondicional e não é baseado em sentimentos e emoções. Ele não nos ama por sermos amáveis ou por fazermos Ele se sentir bem; Ele nos ama porque Deus é amor. Ele nos criou para ter um relacionamento de amor com Ele, por isso Ele sacrificou Seu único Filho (que morreu por nós de bom grado) para restaurar esse relacionamento.

Extraido do Site: http://www.allaboutgod.com/portuguese/deus-e-amor.htm

Aprendi...


Que " amores eternos" podem acabar em 1 noite;
Que grandes amigos podem se tornar ferrenhos inimigos;
Que o amor, sozinho, não tem a força que imaginei;
Que ouvir aos outros é o melhor remédio e o pior veneno;
Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos;
Que confiança não é questão de luxo, e sim de sobrevivência;
Que os poucos amigos que te apoiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que te empurram;
Que o "nunca mais" nunca se cumpre;
Que o "para sempre" sempre acaba;
Que minha família com suas 1000 diferenças, são todos muito parecidos e estão sempre aqui quando eu preciso;
Que ainda não inventaram nada melhor do que colo de mãe desde que o mundo é mundo; Que vou sempre me surpreender, seja com os outros ou comigo;
Que vou cair e levantar milhões de vezes......
e ainda não vou ter aprendido tudo!...
Tenho paciência e tempo suficientes pra esperar, tudo que desejo pq sei que um dia meus sonhos iram se realizar!!!!!!

extraido do orkut de Geane

domingo, 29 de novembro de 2009

O que é predestinação? É a predestinação bíblica?


Resposta: Romanos 8:29-30 nos diz: “Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.” Efésios 1:5 e 11: “E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade... Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade.” Muitas pessoas têm forte hostilidade à doutrina da predestinação. Entretanto, a predestinação é uma doutrina bíblica. O segredo é compreender, biblicamente, o que significa.

As palavras traduzidas como “predestinou”/ “predestinados” nas Escrituras citadas acima vêm da palavra grega “proorizo”, que carrega o significado de “anteriormente determinado”, “predestinar”, “decidir de antemão”. Então, predestinação é Deus determinando antes, o acontecimento de certas coisas. E o que Deus determinou antes que acontecesse? De acordo com Romanos 8:29-30, Deus pré-determinou que certas pessoas estariam em conformidade com a imagem de Seu filho, sendo chamadas, justificadas e glorificadas. Essencialmente, Deus predetermina que certas pessoas sejam salvas. Várias Escrituras se referem aos crentes em Cristo como sendo escolhidos (Mateus 24:22, 31; Marcos 13:20, 27; Romanos 8:33; 9:11; 11:5-7,28; Efésios 1:11; Colossenses 3:12; I Tessalonicenses 1:4; I Timóteo 5:21; II Timóteo 2:10; Tito 1:1; I Pedro 1:1-2; 2:9; II Pedro 1:10). Predestinação é a doutrina bíblica de que Deus, em sua soberania, escolhe certas pessoas para serem salvas.

A objeção mais comum à doutrina da predestinação é que ela não é justa. Por que Deus escolheria certas pessoas e não outras? O que é importante lembrar é que ninguém merece ser salvo. Todos nós pecamos (Romanos 3:23) e todos merecemos punição eterna (Romanos 6:23). Como resultado, Deus seria perfeitamente justo em permitir que todos nós passássemos a eternidade no inferno. Entretanto, Deus escolhe salvar alguns de nós. Ele não está sendo injusto com aqueles que não forem escolhidos porque eles estão recebendo aquilo que merecem. Ao escolher ter compaixão por alguns, Deus não está sendo injusto com os outros. Ninguém merece nada de Deus: por isto, ninguém pode protestar se não receber nada de Deus. Uma ilustração seria se eu desse dinheiro a 5 pessoas em um grupo de 20. As 15 pessoas que não recebessem dinheiro ficariam aborrecidas? Provavelmente sim. Mas elas têm o direito de se aborrecerem? Não, não têm. Por quê? Porque não devia dinheiro a nenhuma delas. Eu simplesmente decidi ser generoso com algumas.

Se Deus escolhe quem é salvo, isto não enfraquece nosso livre arbítrio para escolher e crer em Cristo? A Bíblia diz que temos o livre arbítrio para escolher: tudo o que temos a fazer é crer em Jesus Cristo e seremos salvos (João 3:16; Romanos 10:9-10). A Bíblia nunca descreve a Deus rejeitando quem Nele crê ou mandando de volta alguém que O busque (Deuteronômio 4:29). De algum jeito, no mistério de Deus, a predestinação trabalha de mãos dadas com a pessoa sendo atraída por Deus (João 6:44) e crendo na salvação (Romanos 1:16). Deus predestina quem será salvo, e devemos escolher a Cristo para sermos salvos. Os dois fatos são igualmente verdadeiros. Romanos 11:33 proclama: “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!”

sábado, 28 de novembro de 2009

A Mulher Adúltera - João 8: 1-11


Introdução
"Onde abundou o pecado, aí superabundou a graça".
Jesus estava ensinando no Templo quando os escribas e fariseus chegam a ele com uma mulher apanhada em adultério. No seu zelo hipócrita não se apercebiam do fato de estarem levantando um problema de natureza moral no lugar mais sagrado da terra: o Templo.
Para os inescrupulosos e legalistas, não precisa haver nem lugar nem hora para exibirem sua religiosidade falsa. O que vemos?
I. UMA SOCIEDADE INJUSTA ACUSANDO ALGUÉM DE INJUSTIÇA
• Eram caçadores de problemas
• Estas coisas se fazem a portas fechadas. Então, deviam estar espiando pela fechadura
• Estavam ávidos por um espetáculo mortífero
• No fundo, esta atitude revelava busca de auto-justificação de cada um deles
• O erro dos outros me assegura de que eu não estou sozinho
• A sociedade vive buscando a punição dos errados: "Lugar de bandido é na cadeia"
• Para nós, lugar dos errados deve ser na Igreja - onde há recuperação
• O pecado está no coração - Mc 7.20-23

II. UMA SOCIEDADE INJUSTA BUSCANDO ERRO NA DIVINDADE
• Os homens não se contentam em condenar a seus semelhantes
• O vers. 6 diz que eles o tentavam.
• A mensagem de Cristo produz dois tipos de sentimentos: ou amor ou ódio
• Jo 3.19-21 - aqui está o confronto
• Os líderes religiosos faziam oposição a Jesus porque se sentiam ameaçados
• Jesus não satisfaz curiosidade de ninguém sem que haja uma causa justa
• Inclina-se e escreve com o dedo na terra
• Há especulações quanto ao que estaria escrevendo. O que parece é que Jesus estava mostrando àqueles homens cruéis que a justiça deles era tão vulnerável quanto uma letra num chão arenoso que qualquer vento poderia apagar.

III. UMA SOCIEDADE PRESUNÇOSAMENTE CERTINHA QUE NÃO RESISTE A UM SIMPLES CONFRONTO
• Nos vers. 7, 8 Jesus os põe a pensar. É fácil acusar
• Jesus conhece muito bem o coração
• A começar dos mais velhos (que tinham mais histórias para contar), foram se retirando
• queles homens usavam a religião como máscara para se protegerem.
Formavam uma máfia religiosa em Israel. Jesus não os poupou. Em Mt 6 e 23, denunciou-os
IV. UMA SOCIEDADE DISTANTE QUE NÃO CONHECE NEM A MISERICÓRDIA E NEM O PERDÃO
• Onde não há perdão não existe amor
• O amor é o carro-chefe do cristianismo
• Cristianismo sem perdão seria sistema religioso falido
• Jesus não condescende com o pecado da mulher. É mesmo pecadora
• Seu tratamento, porém, é diferente:
não porque fosse mulher;
não porque ela estivesse em desvantagem no meio de tantos homens;
não porque Jesus queria se vingar dos seus oponentes;
mas porque veio salvar o mais vil pecador
• Restam somente os dois. Ela está nas mãos dele. O que ele fará?
• Diante de Jesus os covardes acusadores desaparecem
• Jesus perunta a ela por eles. "Onde estão os teus acusadores?"
• Segunda pergunta: "Ninguém te condenou?"
• Para duas perguntas, duas respostas:
"nem eu te condeno";
"vai e não peques mais"

Conclusão:
Paulo exorta aos escravos do pecado - Rm 6.12.
A legislação sagrada sobre o pecado está em Rm 3.21-26.
Uma vez perdoado e limpo, o pecador passa a ser uma nova criatura - 2 Co 5.17.

Autor: Pr Walter Santos Baptista


A JUSTIÇA DE DEUS

Vamos abrir novamente a Bíblia, leia agora a Palavra de Jesus em Mateus capítulo 18, versículos 23 a 35.
Aqui temos as instruções de Jesus sobre o perdão, e a parábola do credor incompassivo. Nesta parábola, Jesus descreve: "...o reino dos céus é semelhante a um rei, que resolveu ajustar contas com seus servos.", abordando então justamente o tema em questão "...buscai, pois, em primeiro lugar o seu reino e a sua justiça...".
Jesus parte da premissa de que somos de alguma forma devedores do Rei. O servo incompassivo devia ao Rei a incrível quantia de dez mil talentos (uma fortuna) . Não tinha como pagar e estava prestes a ser vendido como escravo, assim como sua mulher e filhos. Ele poderia ter se revoltado ao ouvir a sentença, blasfemado, injuriado o rei, no entanto, adotou uma postura de humildade e submissão, "prostrando-se reverente, rogou", e pediu apenas um prazo para pagar a dívida. Ora, o Rei sabia perfeitamente que o servo jamais pagaria sua dívida (assim como também nós, jamais pagaremos a nossa). Vendo sua atitude submissa, e o reconhecimento por parte do credor de sua própria pequenez e da soberania do monarca, o Rei fez mais do que dar um prazo, fez algo que o devedor não pediu e não esperava, e "compadecendo-se, mandou-o embora, e perdoou-lhe a dívida."
Podemos perceber que a justiça Divina é totalmente diferente da justiça dos homens. Isto acontece porque Deus é Pai, e como Pai, é misericordioso. Se assim não fosse, não haveria razão nenhuma para que nós, seres humanos, imperfeitos e pecadores continuássemos a existir no mundo. Felizmente não somos julgados pela justiça dos homens, aonde não existe o perdão, mas sim pela misericórdia divina.
Podemos também perceber, que o Rei não convidou o devedor para vir morar no palácio, nem lhe deu um banquete. Apenas perdoou-lhe e o mandou embora. O devedor submeteu-se à justiça do Rei. Sua dívida foi perdoada. Ele não ganhou o reino dos céus ainda, mas foi deixado na liberdade de seu próprio arbítrio. E agora?
Após ter sido perdoado o servo encontrou o seu conservo, que lhe devia cem denários (uma ninharia), a reação do credor incompassível foi terrível "agarrando-o, o sufocava, dizendo: Paga-me o que deves". As palavras do conservo foram absolutamente iguais a do devedor "Sê paciente comigo e te pagarei.", mas não obtiveram misericórdia (quem falava era a justiça do homem).
O rei ao saber do sucedido indignou-se e mudou de idéia, entregando o credor incompassivo aos seus verdugos, até que, ao preço de sua liberdade, ou de sua vida, pagasse a dívida.
Ao falarmos de perdão, geralmente pensamos no perdão dos pecados. Mas aqui não estamos falando de pecados, mas de uma fortuna de dez mil talentos. Esta fortuna representa tudo o que temos, a começar pela nossa própria vida, nossa família, nossos bens, nossos talentos enfim, tudo que temos e que nos foi dado por Deus. Tudo o que temos, e até a nossa própria existência, devemos a Deus. A nossa vida é um sopro do Criador, e não podemos simplesmente soprar de volta e devolver a vida. Nunca vamos conseguir pagar por este sopro. Mas Deus em sua infinita bondade e compreensão perdoa esta dívida ao credor que reconhece de onde ela provêm.
Deus nos perdoa a dívida, mas exige algo em troca. E este algo é justamente o próprio perdão que recebemos. Se não temos como perdoar os cem denários que nosso irmão nos deve, é porque em nosso coração não aceitamos o perdão de dez mil talentos, concedido pelo Rei. Se não aceitamos o perdão, é porque não reconhecemos a nossa dívida para com Deus, ou em outra palavras, rejeitamos o perdão e a Soberania de Deus e estamos condenados.
Repare então nesta forte característica da justiça de Deus: o vínculo do perdão do credor ao perdão do devedor. Se Deus perdoou nossa dívida de dez mil talentos, e se uma parte destes dez mil talentos estava emprestada a uma terceira pessoa no ato do perdão, então, a dívida desta terceira pessoa também foi automaticamente perdoada. Não temos mais o direito de cobrar. O perdão de Deus não garante a salvação. A salvação depende de que aceitemos o perdão que nos é concedido, e a aceitação deste perdão começa pelo perdão que concedemos aos nossos irmãos. Uma Palavra suficientemente clara para todos, apesar disto Jesus não deixou de enfatizar: "Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão.".
Repare que ainda não estamos falando em arrependimento, libertação de pecados, galardão, banquete ou vida eterna. Falamos do perdão existencial que Deus nos concede até mesmo sem pedirmos, perdão cujo reconhecimento e aceitação são pré-requisitos para que continuemos em liberdade para seguir a nossa busca. Se do íntimo, não perdoarmos ao nosso irmão, estamos refutando o perdão e a Soberania de Deus, e portanto presos e impossibilitados de seguir ou receber a Jesus.
Leia também a oração dominical em Mateus 6. 9 a 15.
"...e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores;..."
"Porque se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tão pouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas."
Se não perdoarmos os nossos irmãos, estaremos realmente em pecado. Tão grande pecado aliás, que não pode sequer ser perdoado, uma vez que ao recusar o perdão ao irmão, estamos recusando-o por nossa vez a nós mesmos. Como vou pedir a Deus que me conceda o perdão do pecado de não perdoar ao meu devedor? É praticamente impossível até mesmo formular um pedido assim. Precisamos então nos arrepender deste caminho, e voltar atrás.
Para resumir em uma palavra, podemos dizer que a justiça de Deus é o Perdão.
A justiça do homem (teoricamente) é imparcial. A justiça de Deus é parcial. Mas parcial no bom sentido, não no sentido de ser injusta, mas no sentido de ser condescendente (quando algumas condições são satisfeitas). Ser parcial quer dizer tomar partido a favor de alguém. Deus toma partido a favor de quem perdoa. Mesmo que pelo rigor da Lei esta pessoa merecesse a condenação. Afinal de contas, quem de nós não é pecador? E Deus também não nos quer imparciais, mas completamente parciais, não defendendo nosso próprio interesse, mas optando pelo interesse de nosso próximo. Devemos agir no interesse de nosso próximo, e não no nosso, mesmo que a justiça imparcial fale a nosso favor, e não a favor do próximo. Aceitando e exercendo o perdão, e tomando o partido do próximo, estamos praticando a justiça de Deus e fazendo valer o Seu reino; e se queremos para nós o Seu reino e a Sua justiça, antes devemos fazer valer este reino e esta justiça para com o nosso irmão.


AQUELE QUE DENTRE VÓS ESTIVER SEM PECADO,
ATIRE A PRIMEIRA PEDRA

Leia agora João no capítulo 8, versículos 1 a 11.
A mulher adúltera. A mulher havia sido surpreendida em adultério. Um flagrante testemunhado. Havia uma lei implacável escrita por Moisés (Deuteronômio 22:22-24) que ordenava o apedrejamento até a morte. O julgamento aparentemente era claro. Lei violada, punição prescrita. Justiça de homens é sinônimo de morte. Como é a justiça de Deus?
"Aquele que dentre vós estiver sem pecado, atire a primeira pedra".
Jesus aqui nos coloca novamente aqui esta forte característica da justiça de Deus que a diferencia da justiça dos homens: o vínculo entre a condenação do réu e a condenação do julgador. Assim como o perdão foi retirado do credor incompassivo, a execução da mulher adúltera dependia de um carrasco sem pecado.
"Aquele que dentre vós estiver sem pecado, atire a primeira pedra".
Todos se retiraram, começando pelos mais velhos (talvez os que tivessem mais pecados). Ninguém condenou a mulher, nem mesmo Jesus. Uma vez julgada culpada, não foi condenada nem pelo Filho de Deus. Note que Jesus não perdoou a mulher. Apenas não a condenou. Ela por sua vez não pediu o seu perdão, uma vez que não fora condenada. Houvesse ela própria reconhecido o pecado e se arrependido, pedindo a Deus seria perdoada, mas esta é uma situação que não estava sendo avaliada.
"Nem eu tão pouco te condeno; vai, e não peques mais."
Alguém adulterou? Você conhece alguém que "pulou a cerca"? Aquela certa pessoa divorciada converteu-se e quer entrar para a igreja? Você cortou as relações com a mocinha que tornou-se mãe solteira? Você gosta de apedrejar? Você quer ser o primeiro a atirar a pedra? Se Jesus não condenou, quem somos nós para condenar? Se alguém peca, é porque não conhece a Jesus. Se o irmão é adúltero, pode ter certeza, ele não conhece verdadeiramente a Palavra de Jesus. Jesus não condena a ninguém por isso, mas não concorda com o pecado:
"vai, e não peques mais."
Quem peca está endividado com Deus, e não com seus irmãos. E entre Deus e o pecador, só existe uma pessoa: Jesus. Você quer ficar entre o pecador e Deus? Que tal você contar para Deus os "podres" de todos os que você conhece? Você quer ocupar o lugar de Deus no trono da Justiça? Que tal você decidir para Deus qual deve ser a condenação desses pecadores? Você quer trocar a Palavra de Jesus pela sua? Qual é a sua Palavra? Cuidado! Se você quiser, isto pode acontecer. Com você!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pague o salário a quem devido for!!!


Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Rm 1:25

Desde os tempos mais remotos o homem sempre teve a tendência de adorar a criatura em vez do criador, basta que esta criatura tenha algum dom sobre natural ou que se suponha isso. Sabemos, no entanto, que qualquer ser humano que se dispuser a andar com Deus e crer nas escrituras poderá receber dons conforme o Espírito Santo queira facultar, embora Jesus tenha prometido e outorgado dons aos homens.

Aos 25 de novembro deste, a TV Verde Vale no Programa ROTA, com o apresentados Cicero Lúcio, rodou uma matéria sobre um ato de vandalismo que fizeram com a estátua do Pe Cicero, onde o repórter fazia uma pesquisa com algums moradores da cidade de Juazeiro do Norte, alguns deles revoltados com a situação demosntravam sua raiva contra os que praticaram tal ato, alguns deles chegaram a dizer que, se eles continuassem com essa rebeldia iriam "matar" os gays e que a caminhada do orgulho gay iria terminar em "pau" (palavra usada pelo entrevistado).

Assistindo a matéria fiquei intrigado com uma coisa; é interessante que se dizemos cristãos e que temos fé no Deus todo poderoso(coisa que não acontece pois, Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade(1Jo 2:4)), sabemos que ele existe e que só Deus é quem pode e é todas as coisas, más há aqueles que no seu mundo afastado de Deus, criam sátiras ou piadinhas com sua pessoa, colocam fotos engraçadas na internet e até zoam da sua santidade, vestem roupas femininas e dizem que Deus é curtido, exemplo esse é do filme Dogma onde colocaram um Jesus todo pra frente, e diante de tudo isso ninguém toma nenhuma posição contrária ou mostram sua indignação contra os que tais coisas praticam, pelo contrário, muitas das vezes até acham engraçado e levam na brincadeira como que tudo fosse normal e que Deus é apenas mais um do qual não temos porque temer ou reverenciá-lo.

Vendo aquela indignação do povo pelo que fizeram com a estátua do padre Cicero fiquei me questionando do porque aqueles que se dizem cristão não tomam nenhuuma posição quando o assunto é Jesus, o único que desceu do céu e deu sua vida como pagamento para os nossos pecados, sofrendo na cruz dores e sendo humilhado por cada um de nós que até então viviamos debaixo do pecado e sem nenhum advogado (1Jo 2:12).

Ao mesmo tempo que me questionava mim vinha a mente essa lei (PLC nº 122/2006)que está trambitando no congresso onde se for realamente aprovada ninguém terá o direito de manifestar suas expressões contra qualquer que se diga homosexual pois será tratado de forma criminal (isso é apenas o começo).

Como que já não bastasse é que torna-se crime "impedir ou restringir a expressão e a manifestação de afetividade em locais públicos ou privados abertos ao público" de homossexuais nos quais isso seja permitido aos heterossexuais. "Daqui a pouco vão fazer sexo debaixo das nossas janelas e não poderemos dizer nada, porque será discriminação, será crime", protestou recentemente o senador Magno Malta (PR-ES),

"Concordo que é preciso garantir os direitos humanos dos homossexuais e acabar com o preconceito e a discriminação. O problema é como fazer isso sem que se fira o direito de liberdade de culto, expressão, fé e opinião"(senador Marcelo Crivella).


pense nisso

COM DEUS NÃO SE BRINCA!!!

Veja mais sobre o debate da homofobia no site:
http://www.jornaldedebates.com.br/debate/lei-contra-homofobia-deve-ser-aprovada

Claudio Roberto

A verdade sobre a COCA-COLA (coca-cola é isso aí)


Na verdade, a fórmula “secreta” da Coca-Cola (CC) se desvenda em 18 segundos em qualquer espectrômetro-ótico, e basicamente até os cachorros a conhecem. Só que não dá para fabricar igual, a não ser que você tenha uns 10
bilhões de dólares para brigar com a CC na justiça, porque eles vão cair matando.
A fórmula da Pepsi tem uma diferença básica da CC e é proposital exatamente para evitar processo judicial. Não é diferente porque não conseguiram fazer igual não, é de propósito, mas próximo o suficiente para atrair o consumidor da CC que quer um gostinho diferente com menos sal e açúcar.
Entre outras coisas, fui eu quem teve que aprender tudo sobre refrigerante gaseificado para produzir o guaraná Dolly aqui, que usa o concentrado Brahma. Está no mercado até hoje, mas falhou terrivelmente em estratégia promocional e vende só para o mercado local, tudo isso devido à cabeça dura de alguns diretores.
Tive que aprender química, entender tudo sobre componentes de refrigerantes, conservantes, sais, ácidos, cafeína, thcokeenlatamento,produção de label de lata, permissões, aprovações e muito etc. e tal. Montei um mini-laboratório de análise de produto, equipamento até para analisar quantidade de sólidos, etc. Até desenvolvi programas para PC para cálculo da fórmula com base nos volumes e tipo de envasamento (plástico ou alumínio), pois isso muda os valores e o sabor. Tivemos até equipe de competição em stock- car …

Tire a imensa quantidade de sal que a CC usa (50mg de sódio na lata) e você verá que a CC fica igualzinha a qualquer outro refrigerante sem-vergonha e porcaria, adocicado e enjoado.
É exatamente o Cloreto de Sódio em exagero (que eles dizem ser “very low sodium”) que refresca e ao mesmo tempo dá sede em dobro, pedindo outro refrigerante, e não enjoa porque o tal sal mata literalmente a sensibilidade ao doce, que também tem de montão: 39 gramas de “açúcar” (sacarose).
É ridículo, dos 350 gramas de produto líquido, mais de 10% é açúcar. Imagine numa lata de CC, mais de 1 centímetro e meio da lata é açúcar puro… isso dá aproximadamente umas 3 colheres de sopa CHEIAS DE AÇÚCAR POR LATA !…

- Fórmula da COCA-COLA ?…
Simples: Concentrado de Açúcar queimado – Caramelo – para dar cor escura e gosto; ácido ortofosfórico (azedinho); sacarose – açúcar (HFCS- High arma_coca_colaFructose Corn Syrup – açúcar líquido da frutose do milho); extrato da folha da planta COCA (África e Índia) e poucos outros aromatizantes naturais de outras plantas, cafeína, e conservante que pode ser Benzoato de Sódio ou Benzoato de Potássio, Dióxido de carbono de montão para fritar a língua quando você a toma e junto com o sal dar a sensação de refrigeração.
O uso de ácido ortofosfórico e não o ácido cítrico como todos os outros usam, é para dar a sensação de dentes e boca limpa ao beber, o fosfórico literalmente frita tudo e em quantidade pode até causar decapamento do esmalte dos dentes, coisa que o cítrico ataca com muito menor violência, pois o artofosfórico “chupa” todo o cálcio do organismo, podendo causar até osteoporose, sem contar o comprometimento na formação dos ossos e dentes das crianças em idade de formação óssea, dos 2 aos 14 anos. Tente comprar ácido fosfórico para ver as mil recomendações de segurança e manuseio (queima o cristalino do olho, queima a pele, etc.).

Só como informação geral, é proibido usar ácido fosfórico em qualquer outro refrigerante, só a CC tem permissão… (claro, se tirar, a CC ficará com gosto de sabão).

O extrato da coca e outras folhas quase não mudam nada no sabor, é mais efeito cosmético e mercadológico, assim como o guaraná, você não sente o gosto dele, nem cheiro, (o verdadeiro guaraná tem gosto amargo) ele está lá até porque legalmente tem que estar (qeustão de registro comercial), mas se tirar você nem nota diferença no gosto.
O gosto é dado basicamente pelas quantidades diferentes de açúcar, açúcar queimado, sais, ácidos e conservantes. Tem uma empresa química aqui em Bartow, sul de Orlando. Já visitei os caras inúmeras vezes e eles basicamente produzem aromatizantes e essências para sucos.
Sais concentrados e essências o dia inteiro, caminhão atrás de caminhão!
Eles produzem isso para fábricas de sorvete, refrigerantes, sucos, enlatados, até comida colorida e aromatizada.

Visitando a fábrica, pedi para ver o depósito de concentrados das frutas, que deveria ser imenso, cheio de reservatórios imensos de laranja, abacaxi, morango, e tantos outros (comentei)… O sujeito olhou para mim, deu uma risadinha e me levou para visitar os depósitos imensos de corantes e mais de 50 tipos de componentes químicos. O refrigerante de laranja, o que menos tem é laranja; morango, até os gominhos que ficam em suspensão são feitos de goma (uma liga química que envolve um semi-polímero). Abacaxi é um festival de ácidos e mais goma. Essência para sorvete de Abacate? Usam até
peróxido de hidrogênio (água oxigenada) para dar aquela sensação de arrasto espumoso no céu da boca ao comer, típico do abacate.

O segundo refrigerante mais vendido aqui nos Estados Unidos é o Dr. Pepper, o mais antigo de todos, mais antigo que a própria CC. Esse refrigerante era vendido obviamente sem refrigeração e sem gaseificação em mil oitocentos e pedrada, em garrafinhas com rolha como medicamento, nas carroças ambulantes que você vê em filmes do velho oeste americano. Além de tirar dor de barriga e unha encravada, também tirava mancha de ferrugem de cortina, além de ajudar a renovar a graxa dos eixos das carroças. Para quem não sabe, Dr. Pepper tem um sabor horrível, e é muito fácil de experimentar em casa: pegue GELOL spray, aquele que você usa quando leva um chute na canela, e dê um bom spray na boca! Esse é o gosto do tal famoso Dr.Pepper que vende muito por aqui.

- Refrigerante DIET
coca-zero_blogQuer saber a quantidade de lixo que tem em refrigerante diet? Não uso nem para desentupir a pia, porque tenho pena da tubulação de pvc…
Olha, só para abrir os olhos dos cegos : os produtos adocicantes diet têm vida muito curta.O spartame, por exemplo, após 3 semanas de molhado passa a ter gosto de pano velho sujo.
Para evitar isso, soma-se uma infinidade de outros químicos, um para esticar a vida do aspartame, outro para dar buffer (arredondar) o gosto do segundo químico, outro para neutralizar a cor dos dois químicos juntos que deixam o líquido turvo, outro para manter o terceiro químico em suspensão, senão o fundo do refrigerante fica escuro, outro para evitar cristalização do aspartame, outro para realçar, dar “edge” no ácido cítrico ou fosfórico que acaba sofrendo pela influência dos 4 produtos químicos iniciais, e assim vai… a lista é enorme. Depois de toda essa minha experiência com produção e estudo de refrigerantes, posso afirmar:

Sabe qual é o melhor refrigerante?

Água filtrada, de preferência duplamente filtrada, laranja ou limão espremido e gelo, mais nada, nem açúcar nem sal.

AUTOR: ANÔNIMO – por motivos óbvios)

.

____________________________EU PEDI A DEUS


EU PEDI A DEUS PARA ME TIRAR OS MEUS VICIUS
DEUS DISSE: NÃO.
ELES NÃO SÃO PARA EU TIRAR, MAS PARA VOCÊ DESISTIR DELES.

EU PEDI A DEUS PARA COMPLETAR MEU CORPO.
DEUS DISSE: NÃO.
SEU ESPIRITO É COMPLETO, SEU CORPO É APENAS TEMPORÁRIO.

EU PEDI A DEUS PARA ME DAR PACIÊNCIA.
DEUS DISSE: NÃO.
PACIÊCIA É UM SUB-PRODUTO DAS TRIBULAÇÕES; ELA NÃO É DADA, É APRENDIDA.

EU PEDI A DEUS PARA ME DAR FELICIDADE.
DEUS DISSE: NÃO.
EU DOU BÊNÇÃO; FELICIDADE DEPENDE DE VOÇÊ.

EU PEDI A DEUS PARA ME LIVRAR DA DOR.
DEUS DISSE: NÃO.
SOFRER TE LEVA PRA LONGE DO MUNDO E TE TRAZ PARA PERTO DE MIM.

EU PEDI A DEUS PARA FAZER MEU ESPIRITO CRESCER.
DEUS DISSE: NÃO.
VOÇÊ DEVE CRESCER EM SÍ PRÓPRIO, MAS EU TE PODAREI PARA QUE DÊS FRUTOS.

EU PEDI A DEUS TODAS AS COISAS QUE ME FARIAM APRECIAR A VIDA.
DEUS DISSE: NÃO.
EU TE DAREI A VIDA, PARA QUE VOÇÊ APRECIE TODAS AS COISAS.

ENTÃO PAREI UM POUCO E PENSEI...
O QUE POSSO PEDIR PRA AGRADAR A DEUS??

E PEDI A DEUS PARA ME AJUDRA A AMAR OS OUTROS COMO ELE AMA.
DEUS DISSE:...AHHHH!
FINALMENTE VOÇÊ ENTEDEU A IDÉIA.

Masturbação é Pecado?

Vivemos em uma era de liberdade de expressão e de um estilo "livre" de vida. Hoje vemos nos filmes, nas novelas, nas músicas, nas danças, nas roupas da moda, etc., uma comercialização do sexo. Em Gênesis 1:28, Deus disse ao homem: "E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra" , ou seja, o sexo tinha uma função procriativa e fez Deus uma mulher idônea para Adão para que, dela, ele desfrutasse e, com ela, enchesse a terra (Gn 2:18).
Hoje em dia o sexo está tão banalizado que não há mais aquela expectativa dos noivos em se descobrirem aos poucos, em maravilharem-se um com o outro vivendo uma novidade maravilhosa de um toque, de uma fragrância, de surpresas que fortalecem o casamento e o amor. Com tamanha sobrecarga de "normal" (sexo antes do casamento é normal, homossexualismo é normal, filhos drogados é normal, você tem que aceitar...), porque não devemos ensinar nossos filhos a se masturbarem? Não é normal?

Vamos falar de áreas cinzentas da moralidade

Ao considerar as questões sexuais que não estão especificamente relacionadas na Escritura, tenha em mente certas experiências pré-sexuais que conduzem facilmente à lascívia ou à luxúria.

Nossos pensamentos

A batalha pela pureza sexual sempre começa na mente. Aquilo em que pensamos constantemente, acabamos fazendo. Enchemos nossa mente com o bem ou o mal, o puro ou o impuro, o certo ou o errado. Muitos crentes tentam abrigar ambas as tendências em seus pensamentos.

O pecado sexual declarado é concebido na mente, desenvolvido em várias experiências pré-sexuais, e finalmente torna-se realidade, quando a oportunidade aparece. Não somente a imoralidade resultante é pecado - os pensamentos impuros também são pecados. As palavras de Jesus, no Sermão da Montanha, são freqüentemente citadas a este respeito: "Ouvistes o que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela" Mt 5:27 e 28. Não se confunda, a ponto de dizer: "Visto que já pequei em meu coração, posso também pecar com o corpo". Estes pecados não são os mesmos! Um é o pecado da mente, e em pensamento apenas uma pessoa peca. O outro é um pecado da mente e do corpo, e, com o corpo, duas pessoas pecam. Na mente, não há união física. Com o corpo, os dois chegam a se conhecer um ao outro de maneira irreversível. Note que, em Mt 5:28, Jesus menciona não apenas olhar, mas olhar para cobiçar. Isto implica um desejo ativo, imaginando uma união ou contato sexual.

Paulo diz que o crente de espírito controlado, na batalha espiritual, está "levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo" II Co 10:5. E Pedro diz: "Cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios... não vos conformeis às concupscências que antes tínheis na vossa ignorância" I Pe 1:13 e 14. Não podemos impedir todo pensamento impuro de entrar na mente, porém somos realmente capazes de controlar os pensamentos que permanecem e se desenvolvem.

Nossos olhos

O que nossos olhos vêem e lêem produz e controla a maior parte de nossos pensamentos. As Escrituras ensinam que os olhos são a "candeia do corpo" (Mt 6:22,23) e que se os "olhos forem maus", o corpo "será tenebroso". Esta verdade descreve mais do que um fato físico. Refere-se ao que os olhos deixam entrar na mente.

O apóstolo João adverte contra a "concupiscência dos olhos" (I Jo 2:16). Salomão escreveu: "Dirijam-se os teus olhos para a frente e olhem as tuas pálpebras diretamente diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e serão seguros todos os teus caminhos" (Pv 4:25,26). Salomão também diz: "Filho meu, dá-me o teu coração; e deleitem-se os teus olhos nos meus caminhos. Porque cova profunda é a prostituta; e o poço estreito é a aventureira" (Pv 23:26,27).

Devemos nos afastar da pornografia que vem sendo despejada em nosso caminho, lembre-se: "os olhos são a candeia do corpo". Se você não resiste à tentação, não olhe. Você não pode ser tentado a se masturbar se estiver lendo passagens da Bíblia.

Masturbação é pecado?

A maioria dos não-crentes e também muitos crentes crêem que a masturbação não apresenta nenhum problema. Certamente, não acham que é pecado e que só constitui um problema quando é uma obsessão e um substituto psicológico total para as relações sexuais normais.

A muitos mitos sobre a masturbação, em escritos católicos e protestantes antigos, a este respeito. Alguns destes mitos são que a masturbação causa danos físicos, que destruirá a habilidade sexual no casamento ou que causará distúrbios emocionais. Estes mitos eram basicamente táticas para amedrontar e tinham pouca base em fatos.

Não há passagem específica na Escritura que fale diretamente da questão da masturbação. Há quem chame a atenção para Gn 38:8-10 e I Co 6:9-10. Concordo com o escritor Herbert J. Miles, que estas passagens não falam de masturbação.

Mesmo assim, a Bíblia fornece orientações que lhe permitirão decidir se a masturbação é pecado ou não. Reflita sobre as seguintes observações:

1. Vejamos à definição de lascívia e luxúria: "Gratificação dos sentidos u indulgência para com o apetite; dedicado aos ou preocupado com os sentidos" e "desejo sexual intenso". A masturbação encaixa-se definitivamente nestas definições (veja Gl 5:19). Pode-se praticar a masturbação sem lascívia ou luxúria?

2. O teste seguinte é o de sua vida mental. Jesus disse: " Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela" (Mt 5:27,28). Quando uma pessoa pratica masturbação, o que se passa em sua cabeça? As cachoeiras de Paulo Afonso? Pode alguém se masturbar sem imaginar um acto sexual ou ao menos cenas sensuais? O que é que você acha? Se você pratica a masturbação, pode sua mente permanecer pura?

3. Em seguida, reflicta sobre a santidade e a intenção da relação sexual no casamento. Sem sombra de dúvida, a masturbação é uma tentativa de experimentar as mesmas sensações que são atribuídas ao casamento. É um substituto do acto verdadeiro - uma farsa, uma falsificação, um dolo.

4. A masturbação é também totalmente egocêntrica. Uma das características do egocentrismo é a auto-indulgência. Paulo descreve o modo de vida de quem é controlado por Satanás, dizendo: "Todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos" (Ef 2:3).

5. Finalmente, a masturbação pode nos levar à escravidão. Quando uma pessoa é dominada por uma indulgência carnal, ela peca. "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências" (Rm 6:12). Paulo também diz: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas" (I Co 6:12). Você é escravo da masturbação?

Reflita sobre os cinco enunciados acima, para determinar se, para você, a masturbação é pecado.

Liberte-se!

O impulso sexual é uma parte normal, dada por Deus, de qualquer homem ou mulher saudável. Envergonhar-se disto é duvidar da bondade de Deus para connosco. Abusar dele é contrariar a graça que Deus tenciona para nós. Ele nos criou com muitos impulsos e desejos, que podemos desenvolver ou usar de maneira errada. Como um deles, o impulso sexual activa ou destrói os relacionamentos, de acordo com seu controle e aplicação.

A masturbação é um problema comum. Não devemos ter medo de conversar sobre ela nem de ajudar as pessoas a superá-la. Homens e mulheres acham que é um hábito igualmente opressivo, e buscam ajuda para a superação do problema. Compaixão, e não condenação, deve ser nossa resposta.

Minha conclusão é que a masturbação não deve fazer parte da vida do crente. I Coríntios 6:18-20, Gálatas 5:19 e I Tessalonicenses 4:3-7 são passagens que falam sobre a questão do uso de nossos corpos devidamente no sexo. Embora não possamos assentar todos os argumentos que dizem que a masturbação é pecado, não podemos negar que ela é resultado da lascívia e da paixão. Mas, na liberdade da graça de Deus, podemos escolher fazer o que é sagrado e direito aos olhos de Deus.

Fique com Deus,

(Texto: O JOVEM CRISTÃO E A MASTURBAÇÃO de Jerry White retirado do site www.assembleiadedeus-rn.org.br)

Minha Fonte: Solteiros Cristãos

Atitude de Homem - Como atrair e conquistar lindas mulheres


• Como está sua auto-estima? Não se aprova quando olha no espelho? Cuide-se. Ginástica e uma dieta leve podem melhorar seu aspecto físico. A conquista do sexo oposto envolve uma grande dose de auto- estima e aceitação de si mesmo.
• Você se acha feio e desengonçado? Beleza nem sempre põe mesa. Uma semana de gripe na cama, prejudica qualquer rosto bonito. A beleza física é efêmera. Beleza por si só cansa. Quanto tempo você ficaria olhando para uma foto de uma mulher belíssima? Você decerto conhece alguém extremamente feio e atraente, não? Fica cismado e se pergunta: "Deus, como o Fulano conquista as mulheres? Consegue as mais bonitas! Feio, baixo e tem uma barriga.... pra ninguém botar defeito." A simpatia e o carisma pessoal também atraem uma mulher.
• Saiba ouvir a mulher. Isso cativa, sabia? O senso de humor e a alegria são afrodisíacos! Cara emburrada afasta as pessoas.
• Seja sempre gentil e cavalheiro. Mulheres adoram flores e champagne. No entanto, não faça deste gesto um lugar comum. Desenvolva a inteligência e a cultura, mas não seja um chato.
• Seja sempre sincero com as mulheres. Jamais as iluda com promessas que não podem ser cumpridas.
• Qualquer lugar é um lugar para a paquera: seu condomínio, a padaria, uma sala de chat, uma balada, a academia de ginástica. Aproveite e mãos à obra! As mulheres são sensíveis e muito observadoras.
• Você é tímido? Não sabe se aproximar de uma mulher? Timidez pode ser um charme e agrada as mulheres. No entanto, quando a timidez incomoda muito merece atenção ou tratamento adequado através da psicoterapia.
• Tenha estilo. Seja você mesmo sempre! Ter estilo é ter um jeito próprio de se vestir, de falar e de flertar. Seja seguro de si na hora de abordar uma mulher. Não fique olhando para o chão.
• Ande sempre limpo, arrumado e perfumado. Se não gosta de perfumes, mantenha, pelo menos, seu desodorante corporal em dia. Nada mais desagradável do que cheiro de suor, de chulé ou mau hálito.
• Cuide da saúde. Se você sofre de alguma disfunção sexual, vá a um médico. Ejaculação precoce, dificuldades na ereção devem ser avaliadas por um profissional. Estas dificuldades podem prejudicar muito a sedução.
• Não seja vulgar. Uma abordagem vulgar ou direta demais pode assustar a mulher. Seja um gentleman!
• Nada mais sedutor do que a dança e a música! Já experimentou convidá-la para um baile? Não sabe dançar? Aprenda!
• O carro também pode ser uma arma de sedução. Leve-a para dar uma volta de carro. Ela vai observar como você conduz o automóvel e as pequenas gentilezas como: abrir a porta do carro, colocar uma música agradável.
• Pequenas gentilezas são ótimas armas para conquistar uma mulher: um bilhete carinhoso, um telefonema inesperado, um e-mail.
• Vestir-se de forma excêntrica só para impressionar uma mulher nem sempre funciona. Tudo o que é falso cai por terra.
• Se uma paquera não deu certo, parta para outra. Insistir muito com e-mails insistentes, telefonemas inoportunos podem afastar a mulher desejada.
• Mude a estratégia na hora de seduzir. Algumas mulheres gostam de homens misteriosos ou difíceis. No entanto, o jogo da caça e do caçador pode ser perigoso. Ela foge e você insiste mais... Ela sempre foge, sempre inacessível. Parta para outra! Pode ser que ela não queira nada com você.
• Na hora do flerte, fique atento aos sinais: o olhar, um sorriso. Você, homem, saberá a hora exata de se aproximar ou de se retirar elegantemente.
• Por favor! Não durma logo após o relacionamento íntimo. Faça um esforço. As mulheres gostam daquele carinho gostoso depois de uma noite de amor.
• Elogie com sinceridade se você gostou do novo corte de cabelo, da roupa ou do perfume dela.
• Pelo menos no primeiro encontro, pague a conta do restaurante ou da lanchonete. Seja educado. Estas gentilezas jamais saem da moda.
• Seja sempre um homem amigo e solidário. Mesmo que não conquiste aquela mulher especial, poderá ganhar uma sincera amiga. Valorize a amizade.
• O beijo é muito especial! Como você beija? Alguém um dia já disse: "Quando não encaixa na boca, raramente dá certo!"
• Beijos roubados podem ser extremamente excitantes. No entanto, não arrisque de imediato. Saiba em que terreno está pisando. Poderá estragar tudo com um beijo fora de hora.
• Alguns homens costumam falar de suas ex-namoradas, das suas frustrações, logo no primeiro encontro. Isso é extremamente desagradável! É um balde de água fria na hora da conquista! Você quer uma mulher? Ou procura outra mãe ou terapeuta?
• Ah, o olhar! Ele diz muita coisa. Use e abuse do flerte!
• Cartões virtuais nem sempre impressionam. Um e-mail carinhoso ou um telefonema podem impressionar muito mais do que cartões encaminhados.
• Não seja exibido. Não fale de sua conta bancária, conquistas, viagens. A conversa tem que ser solta e espontânea. Fazer muito esforço para impressionar uma mulher, nem sempre dá resultado.
• Dizem que há sempre uma tampa para cada caldeirão. Se você quer ser bem sucedido na hora da sedução, saiba exatamente o que você deseja de uma mulher: um relacionamento, aventura ou um apenas um intercurso sexual? Seja sincero sempre para não ter aborrecimentos futuros. Use camisinha para evitar doenças sexualmente transmissíveis. Lembre-se: as mulheres ficam grávidas sabia? Tome providencias para evitar um filho não planejado.
• As bebidas alcoólicas podem ser afrodisíacas, mas tome cuidado. Evite um encontro desastroso trilhando o caminho do meio. Nada mais desconcertante do que um homem bêbado ou que apaga na hora do relacionamento íntimo.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

** Homossexualidade e Sexualidade na Bíblia **


Um ponto em conflito

O desafio de qualquer tratado exegético no campo da sexualidade ou da homossexualidade é sua capacidade de alcance e compreensão dos fatores culturais, éticos e religioso que formam a cultura de um povo. Tentar aprofundar uma reflexão neste campo significa poder penetrar todas as esferas de um conjunto de crenças, costumes, leis e tradições, dentro das quais são traçados os perfis de um “modus vivendi”. É preciso reconhecer que aqui se constitui a dificuldade maior. Sempre que alguém volta para o passado, os arquétipos atuais e sua visão da história cultural podem condicionar sua pesquisa e volta ao passado. Nosso estudo visa oferecer uma reflexão sobre as questões da sexualidade e homossexualidade, como contributo para uma visão desta temática na Bíblia.

A homossexualidade é conhecida na linguagem antiga como uranismo (A origem do termo “uranismo” para caracterizar o homossexualismo é obscura. Platão afirmava que Urânia era a ninfa gerada por Urano, mas sem mãe. Urânia era a senhora do universo, representada com um globo terrestre em suas mãos. Ela tinha uma varinha, com a qual indicava a direção dos astros. Outra fonte da origem do nome pode vir da mitologia de Urano, o deus do cosmos, filho de Gea (terra), para outras filho do Mar. Segundo Cícero, Urano é pai de Vênus com Hémera. Mais tarde, Urano é mutilado por Cronos e das gotas de seu sangue nascem gigantes e ninfas (Cf. Spasa Calpe, “Uranos”))
inversão genital. Na tradição mitológica antiga eram conhecidos dois tipos de “uranismo”: a) a inversão artificial, que significava apenas um vício da relação homossexual; b) a inversão- perversão, considerada uma degeneração mental. Dentro destes dois campos, há inclinações para o homossexualismo com rejeição ao sexo oposto e há outra forma de homossexualismo que é a indiferença ao sexo oposto. Para estes, a vida sexual normal produz um cansaço, repulsa e até impotência. A partir desta situação, instala-se um comportamento genital anômalo. O amor uranista (invertido) é uma caminhada normal, na esfera psíquica, uma vez que ele possui todas as fantasias, caprichos, bem como paixão e violência. Na prática, no entanto, se efemina nos homens e se masculiniza nas mulheres. Estudos revelam que a vida sexualpervertida dura enquanto subsistir a força genital.

As origens do homossexualismo permanecem desconhecidas, mas a mitologia antiga já conhecia esta forma de comportamento. Platão definia três formas de ser humano: a) o homem; b) a mulher; c) o heterógino. Na composição do ser humano, ainda dentro da mitologia helenista, os seres tinham duas faces, quatro mãos, quatro pés, dois sexos, cada qual na posição inversa (era um duplex). O ser cujos dois sexos fossem masculinos era homem; os dois sexos femininos era mulher e havia uma terceira opção, que tinha um sexo masculino e outro feminino (heterógino). Assim fazia-se a explicitação da homossexualidade dentro da cultura grega. Uma briga de Zeus com os humanos provocou o castigo dos mais fracos. Zeus tomou os humanos e os partiu pela metade, misturando suas partes. Daquele momento em diante, cada parte busca sua outra metade no desejo de reconstruir a felicidade original2. Os que tinham os dois sexos masculinos, .procuram outro homem como sua metade original; os que tinham os dois sexos femininos, buscam uma mulher e os que tinham dois sexos diferentes, procuram o sexo oposto para realizar seu complemento.

O homossexualismo é conhecido igualmente nas culturas romana e judaica. No código de ética judaica, o comportamento homossexual era considerado um desvio de conduta gravíssimo, sofrendo penalidade capital: “Se um homem se deitar com outro homem como se fosse com uma mulher, ambos cometem uma perversidade e serão punidos com a morte – são réus de morte” (Lv 20,13). Na cultura romana, o apóstolo Paulo faz referência a este estado ético que, para seus esquemas mentais, era uma afronta ao estado natural: “Por isso, Deus os entregou às paixões aviltantes: suas mulheres mudaram as relações naturais por relações contra a natureza; do mesmo modo os homens, deixando a relação natural com a mulher, arderam em desejo uns para com os outros, praticando torpezas homens com homens e recebendo neles mesmos o preço da sua aberração” (Rm 1,26-27).

Desta forma, nota-se a antigüidade do homossexualismo. A cultura grega cria mitos para explicar esta forma de comportamento. A cultura romana cria leis jurídicas para coibir a incidência destes casos e o judaísmo estrutura um código de ética que insere a pena máxima. No entanto, a homossexualidade, independentemente de aceita ou condenada, constitui-se, ainda hoje, um fenômeno obscuro, uma trilha sinuosa e sem saída.

1. A educação familiar na formação da sexualidade

A educação familiar é o elemento primário na formação de uma sociedade. É na esfera familiar que se encontram os resquícios de uma moral doméstica. Esta configura uma compreensão da pessoa, homem ou mulher, no seu comportamento social. A paidéia (educação) grega procurava integrar os indivíduos numa forma comum de compreensão e visão de família, sociedade e mundo. Numa afirmação de Diógenes, a educação é graça para o jovem, consolo para o ancião, abundância para o pobre e ornamento para o rico (Diógenes, Laertius, vi, 68). Para muitos mestres antigos era preferível ser cego do que não ser educado ou poder freqüentar uma academia. Na dimensão helenística do pensamento, a educação conduz à virtude, e esta torna-se uma arma que jamais pode ser abandonada ou perdida (Diógenes, Laertius, vi,12-13).

As sociedades antigas, especialmente as ocidentais, pregavam uma moral familiar monogâmica. No entanto, quer na Grécia antiga e mesmo na tradição judaica, eram conhecidos os costumes de um homem ter uma mulher oficial e muitas concubinas, as quais moravam sob o mesmo teto e tinham os mesmos direitos que a mulher oficial. Os filhos desta conviviam com os filhos das concubinas sem diferenças, com a única restrição de que, salvo exceções, os filhos das concubinas não herdavam bens diretos. O adultério pesava sempre sobre a mulher, uma vez que para o homem esta prática era um certo direito.

a) A administração doméstica
A teoria da oikou nomia (lei da casa) foi educando a mulher para uma esfera interna do lar, ainda que, como escrava, ela tivesse que cultivar os campos e tomar conta dos rebanhos (cf. Ct 1,5-6).
“Tanto quanto possível, as moças eram separadas dos rapazes e cultivadas em suas casas na absoluta ignorância de tudo o que se passava no mundo”. A mulher nas culturas antigas era educada a não se inteirar dos assuntos do marido, nem mesmo das relações comuns entre as famílias. “Quando a família recebia um convite para visitar outra, os homens e as crianças podiam ir, mas, salvo exceções, as mulheres ficavam em casa. E quando os homens tinham uma mulher como convidada, em sua casa, a esposa não podia participar da companhia”.

b) O matrimônio na sociedade israelita
Herdeira da cultura babilônica e egípcia, a sociedade israelita proclama o matrimônio como monogâmico (uma só mulher). O Código de Hamurabi (por volta de 1700 aC) determinava que o casamento do homem seria com uma única mulher. Ele só poderia tomar uma segunda esposa (convivendo com a primeira) se a primeira fosse estéril8. Na tradição israelita patriarcal (cf. Gn 12-50) encontra-se o caso de Abraão que, por Sarai ser uma mulher estéril, tem a permissão de tomar uma serva egípcia, chamada Agar, para prolongar sua descendência (Gn 12,5ss). Mais tarde, a primeira esposa Sarai lhe dá Isaac, que passa a ser o filho da promessa (Gn 17,17-19).

Na sociedade israelita, a filha não-casada está sob a tutela do pai, e a esposa sob a dependência do marido.

c) O paradigma da monogamia

O relato da Criação de Gn 2,21-24 apresenta o homem casado com uma só mulher, assim também são casados alguns patriarcas como Noé (Gn 7,7); já Lamec tem duas mulheres (Gn 4,19). Todo homem deveria ter uma só mulher diante da lei, mas poderia ter outras, não oficiais, que fossem livres ou escravas, em um número tal que ele as pudesse sustentar seus filhos.

Na própria tradição patriarcal bíblica encontram-se exemplos de poligamia (diversas mulheres). Jacó trabalha sete anos como pagamento por Raquel, mas é enganado pelo sogro que lhe dá a irmã mais velha, Lia. Ele trabalha mais sete anos para conseguir a esposa de seus sonhos, mas acaba ficando com as duas irmãs por esposas
(Gn 29,15-30). No período da monarquia, os reis de Israel tinham uma só esposa oficial, mas tinham muitas concubinas. A monogamia era apenas uma questão de fachada. O número de mulheres era tão grande e variado como os desejos e possibilidades do homem. No início da legislação judaica não havia limites. “Numa tentativa de regulamentação tardia, o Talmud fixava em quatro mulheres para um homem comum e dezoito para um rei. Na verdade, era uma questão absolutamente teórica”. De igual modo, nas famílias islâmicas, o número de mulheres é relativo ao poder econômico do homem. Neste aspecto, a legislação social depende exclusivamente dos direitos do homem.

2. A educação religiosa na família

A moral doméstica determina, aos poucos, a moral religiosa. Diante de situações concretas e existenciais nascem imperativos morais que se transformam em padrões de comportamento religioso. Muitas vezes, dentro de uma conflitividade pessoal ou comunitária acontece o surgimento de uma apocalíptica religiosa, uma certa luta
entre as forças divina e humana, entre a fé em Deus e os temores de Satã. Nestes tumultos existenciais, muitas vezes, elaboram-se as teses principais da Transcendência, de Deus e do ser humano.

Na esfera religiosa, a tradição veterotestamentária encontra a reforma de Esdras (Esd 9-10), que institui a lei da raça pura e os direitos de divórcio pelos mesmos motivos. Abre-se, a partir do séc. IV aC, uma ruptura ainda maior na sociedade judaica quanto à segregação dos sexos e ao tratamento da mulher. Aos poucos, esta forma de procedimento passa a tomar o caráter de cultura, sendo introjetado na educação religiosa familiar e comunitária.

3. A educação social – a sexualidade da mulher a serviço do Estado:

Na esfera social, a sexualidade está muito vinculada ao casamento, às relações familiares referentes à pratica do casamento e à finalidade última das relações sexuais. No mundo helenístico são encontrados diferentes conceitos, de acordo com as escolas de pensamento e também de acordo com os períodos históricos. Uma teoria pregava o casamento para os “maduros”, descartando os outros: “Para o jovem, ainda não; para o velho, não mais”.

Na esfera social, a mulher estava a serviço do Estado, enquanto ela emprestava seu corpo para gerar filhos para a guerra, para a defesa do rei e para a guarda dos palácios dos nobres (Cf 1Sm 8,11ss). O casamento, na teoria platônica, tinha como finalidade principal gerar filhos para o Estado. A finalidade do matrimônio era apenas homologar a legitimidade dos filhos na relação sexual. Os filhos das concubinas e as próprias concubinas participavam em tudo da vida familiar, mas não tinham os mesmos direitos que as mulheres oficiais e os filhos das mesmas.

Na esfera social, a mulher recebia um espaço que não era espaço. Ela tinha uma área de comando (os cuidados da casa e dos filhos) que não era poder. Ela, dentro de casa ou fora dela, dependia sempre do seu esposo. Por isso, a estrutura social criava uma separação e segregação dos sexos, que não era outra coisa senão submissão.

4. A sexualidade a serviço de interesses:

Todas as culturas antigas incentivavam o casamento e condenam, paralelamente, o celibato e a esterilidade. O casamento servia para evitar aquilo que nenhuma aceitava: o lesbianismo e o homossexualismo, ainda que presentes em todas elas. O celibato masculino e mais ainda o feminino era mal visto, em virtude destes perigos. Para evitar que jovens indecisos retardassem sua opção pelo casamento, os gregos criavam as gymnopedias (danças nuas). Essas danças provocavam os jovens a assumirem o matrimônio na fase central de sua juventude. Pesavam sobre esses interesses os temores dos desvios da sexualidade.

Se o não-casamento dos rapazes era perigoso por propiciar o surgimento de vícios, o celibato das moças era impensável. As guerras, as calamidades e as pestes dizimavam mais homens do que mulheres. Nisto, o ventre materno era visto como o receptáculo da continuidade da espécie, da descendência e do povo. Uma mulher que recusasse casar e ter filhos era considerada amaldiçoada por Deus. Na verdade, em sociedades androcêntricas, cabia à mulher os papéis de ser escrava do lar, de gerar filhos e de trabalhar.

5. As reações contra o androcentrismo bíblico

A sociedade israelita, particularmente no tempo da reconstrução das tradições com Esdras, estabelece regras próprias no relacionamento com a mulher. Se no pré-exílio as coisas não eram favoráveis à mulher, depois ficam piores. O período da reconstrução de Jerusalém, conhecido como a “reforma de Esdras”, serviu para que um grupo de sacerdotes e rabinos estabelecessem como regras básicas para a mulher sua dependência absoluta do marido. A família determinava com quem a moça podia casar. A expressão erótica do amor era impensável, particularmente por parte da moça. No entanto, a sexualidade, que desempenha um papel importante na formação das relações humanas, tornava-se um pesadelo, uma frustração e um tédio. É na sexualidade que o ser humano expressa a integração das forças e potencialidades que permitem a sensação do fator erótico. Desta forma, o livro dos Ct declama o corpo e suas partes como o espaço do amor. O ser humano não tem corpo, ele é corpo. “O corpo é o ser, em sua totalidade e em todas as suas expressões, que passa do eros ao agápe”.

a) A mulher como propriedade da família

No Decálogo (Ex 20,17), a mulher é tratada como uma das posses do marido. Ela não tem existência em si mesma. Ela só existe na submissão ao pai, se solteira; na submissão ao marido, se casada, e na submissão ao seu patrão, se escrava. A mulher não se pertencia. O seu destino estava nas mãos de seus possessores. Assim, neste livro dos Ct ela reclama: “Não me olheis com desdém, por ser morena! Foi o sol que me queimou, pois os filhos da minha mãe, aborrecidos comigo, puseram-me a guardar as vinhas, e a minha própria vinha não pude guardar” (Ct 1,6). Os irmãos (homens) tinham ascendência sobre as irmãs e atribuíam às mesmas as tarefas de cuidar dos campos, dos rebanhos de cabras, expondo seu corpo ao sol, ao calor e ao frio, sem condições de cultivar sua beleza. O tempo da mulher cuidar do seu corpo é trocado pelo tempo que ela fica nos campos.

b) A mulher, sexo e divórcio

Com a reforma de Esdras, no período pós-exílico, o judaísmo
“puro” torna-se o símbolo do judaísmo elitista e excludente dentro da tradição deste povo. A lei dos matrimônios passa a ser a lei da raça pura. Argumentando razões de culto, de fé e de obediência aos estatutos, Esdras e os sacerdotes responsáveis pela restauração judaica excluem todos os que não eram legitimamente judeus. Por princípios raciais, determinam que todos os judeus casados com mulheres não judias as mandem embora dando-lhe a carta de divórcio (Esd 9-10).

A família, castradora dos sentimentos dos jovens, moças e rapazes, passa a ter outro elemento para oprimir mais estes sentimentos. A ganância dos irmãos por dinheiro faz logo pensar na forma de comercializar os sentimentos das moças: “Temos uma irmãzinha, ainda não tem seios. O que faremos por nossa irmã, quando alguém pedir sua mão? Se ela é uma muralha, vamos construir-lhe ameias de prata; se é uma porta, vamos reforçá-la com pranchas de cedro” (Ct 8,8-9).

c) Sexualidade = manipulação e frustração

Em sociedades onde a formação dos jovens está nas mãos de interesses, a sexualidade sofre perturbações e desvios. O livro dos Ct é o melhor exemplo bíblico das manipulações da sexualidade determinadas pelos interesses familiares ou políticos. De um lado temos a ganância dos irmãos, os quais não se perguntam se a irmãzinha vai ser feliz ou não, mas se perguntam pela quantia que podem ganhar. Do outro está o rei – ou os ricos – que, com seus direitos de semideus, pode pedir qualquer moça para seu harém no palácio. Qualquer moça que esteja num átrio de concubinas será sempre uma concubina. O amor pode vir misturado com o vinho, licores e perfumes, mas a cama na qual ele se complementa no ato sexual, será sempre a expressão da exploração, será sempre uma cama fria. O beijo, manifestação sensível do amor, expressão do desejo da paixão, não será manifestação de alguém que ama, mas de alguém que explora. Se os perfumes, fragrâncias e vinhos criam um ambiente de deleite, sensualidade e ternura (Ct 1,3; Ez 16,8;23,17; Pr 7,18), a frieza do amor pode produzir o desconforto, o tédio e a frieza sexual.

Em algumas culturas antigas, os gestos afetivos de saudação eram reprimidos por serem considerados obscenos. Em outras, os gestos afetuosos podiam ser manifestados, mas em alguns lugares reservados. Gaiser afirma que os costumes variavam: “No antigo Egito, o contato de dois corpos era pela aproximação dos narizes, o qual servia mais a uma função de cheirar que de tocar. Mas no Oriente Próximo, até onde os documentos nos permitem recuar, os amantes se beijavam nos lábios. No mito sumério de Enlil e Ninlil, a virgem Ninlil afirma: ‘Meus lábios estavam tão próximos (no encosto dos narizes) e no entanto eu nunca fui beijada’. Algumas pinturas sumérias mostram os amantes beijando-se nos lábios. No mito ugarítico de Shacar e Shalin, El aparece unido a duas mulheres”.

Um outro elemento a ser observado é a chamada espiritualização da sexualidade. De modo particular na leitura do livro dos Ct foi um fator marcadamente unidireciona. A interpretação mística do texto fez ver que a vinha da amada é a Lei eterna, o Deus de Israel, a Assembléia de Israel ou o nome do Eterno.

d) O confinamento dos sentimentos e o homossexualismo

A felicidade não pode ser comprada ou vendida. A antropologia do amor perpassa todas as esferas e estruturas do ser humano. É preciso deixar que o amor, a afetividade e a sexualidade acordem no seu tempo correto (Ct 8,4). Despertar a sexualidade de modo interesseiro, usá-la para ter proveito econômico ou por interesse provoca distúrbios comportamentais na vida.

Sobre a moça pesam os preconceitos da virgindade, da pureza e da castidade. Ela tem a obrigação de apresentar o selo da integridade física, ser um jardim fechado, uma fonte lacrada (Ct 4,12). E para manter toda essa estrutura de castração e dominação ela tem que usar o véu. Este serve para esconder, velar e cercear. Na festa de núpcias, ela se apresenta ainda velada ao seu noivo, mesmo para indicar que não se havia revelado a ninguém (Ct 4,1.3; 6,7). Ela, ainda que esposa do rei neste Cântico, jamais é mostrada como rainha. Ela recebe elogios, ela é formosa, mas não recebe o título. Para Tournay, no folclore árabe da Síria, uma jovem que desposasse um rei, poderia automaticamente considerar-se rainha.

O amor é forte como a morte. Esta expressão revela a força do amor e os perigos dos seus desvios. Este amor mal orientado se transforma em ciúme e em desequilíbrio. O amor e a paixão profundas jogam com os extremos. “Guardai-vos, pois, de esquecer a aliança que o Senhor, vosso Deus, fez convosco, fazendo imagens ou figuras de tudo o que o Senhor vosso Deus vos proibiu. Porque o Senhor vosso Deus é fogo abrasador, é um Deus ciumento” (Dt 4,23-24).

Um juramento de amor envolve uma totalidade e não as partes. Se esta totalidade entrar em crise, o amor pode transformar-se em ódio, vingança, destruição. “Põe-me como um selo sobre teu coração, como um selo sobre teu braço. Porque é forte o amor como a morte, e a paixão é tão violenta como o abismo: suas centelhas são incendiárias, são labaredas intensas” (Ct 8,6).

Conclusões:

A questão da homossexualidade está ligada a um conjunto de fatores que envolvem o problema da afetividade e sexualidade. A homossexualidade é uma realidade presente em todos os tempos e culturas. Ela resulta de algum fenômeno biológico, mas se transforma numa fonte de ciúmes. A moral judaica condena a homossexualidade
(Lv 18,22), como condena a esterilidade, o onanismo e o celibato por não gerarem filhos e não prolongarem a descendência (Gn 15,15;16,1; 1Sm 1,3-7; Sl 127,3). Toda a relação sexual deve ter como meta procriar. O ato sexual não pode ser compreendido como prazer carnal, mas como ato gerador de vida. A sexualidade é um fator integrador da personalidade e das expressões da pessoa na sua relação com a sociedade. Em qualquer aspecto que ela se desintegre, ela compromete o convívio comunitário e social.

Isidoro Mazzarolo
CENTRO DE ESTUDOS ANGLICANOS – CEA
PUC-Rio

________Maria - A Deusa Mãe ao Longo da História


(Atos 19:34-35) – Mas quando conheceram que era judeu, todos unanimemente levantaram a voz, clamando por espaço de quase duas horas: Grande é a Diana dos Éfésios. Então o escrivão da cidade, tendo apaziguado a multidão, disse: Homens efésios, qual é o homem que não sabe que a cidade dos Éfésios é a guardadora do templo da grande deusa Diana, e da imagem que desceu de Júpiter?

A deusa mãe: Perceba o símbolo do deus-sol atrás de todas as imagens (o círculo), símbolo do ocultismo.
O livro clássico do Reverendo Alexander Hislop, The Two Babylons [As Duas Babilônias], e o Livro A Virgem Maria: Está Morta ou Viva de Danny Vierra são as bases de nosso estudo.
O profeta Isaías 700 anos antes de Cristo já declarou que o FILHO DE DEUS nasceria de uma virgem, ou uma mulher jovem como diz o original em hebraico (Isaias 7:14). Satanás, ou Lúcifer, o Anjo Caído, de alguma maneira já sabia dos planos de Deus de enviar o messias através de uma virgem. Para tanto resolveu criar uma deusa que tenha tido um filho com o objetivo de derrotar o evangelho de Deus.
Dados históricos comparados com a Bíblia mostram que depois do dilúvio de Noé, os sobreviventes se multiplicaram e edificaram a cidade da Babilônia. Lá nesta cidade havia um virgem lindíssima cujo nome era SEMÍRAMIS.
SEMÍRAMIS se tornou a Rainha da Babilônia e casou-se com NINRODE. Historicamente ele foi chamado de:” MARIDO DE SUA MÃE”. Satanás usou a ambos para criar uma seita diabólica tão poderosa que espalhou-se pelo mundo inteiro e multidões visaram a SEMÍRAMIS como sua Mãe-protetora.
Foram SEMÍRAMIS e NINRODE que inventaram o confessionário e o celibato.
NINRODE foi chamado por muitos de MOLOQUE: pessoas doavam seus filhos bebês para serem sacrificados em honra a ele. Quando NINRODE foi morto, o povo lamentou. SEMÍRAMIS agiu bem depressa para tomar vantagens da situação, engravidou e deu a luz a um outro filho e o proclamou que ele era a reencarnação de NINRODE. O filho foi chamado de TAMÚZ, ele se tornou o deus do sol. Também se tornou conhecido como BAAL.
SEMÍRAMIS foi transformada em uma deusa tal como BAALTI (A MADONA), RAINHA DO CÉU, A MEDIATRIZ, A MÃE DA HUMANIDADE, ASTARTE, etc. Com o passar dos tempos, monumentos a esta deusa e seu filho apareceram em muitas nações…quando o povo da Babilônia foram espalhados pelas várias partes da terra, levou com ele a adoração da divina mãe e filho.

Assim satanás conseguiu estabelecer a sua religião mortífera bem antes que Jesus nascesse.

No Egito a Mãe se chamava Osís e o Filho Orus.
Em Roma era Vênus e Jupiter.
Em Israel era Astarote e Baal.
Vejamos quadro abaixo:

1) Ankh Nes Meryre e filho Pepi.
2) Cyprus.
3) Madonna Guanyin, deusa da misericórdia
4) Matrika de Tanesara da India
5) Yasoda e Krishna.
6) Mãe e Filho 2000-1850 B.C.
7) Mexico, Jalisco 200 B.C.- 500 A.D.
8) Maya.
9) Mexico, Colima 200 B.C.- 500A.D.
10) Mykene, Grécia
11) deusa Sun , Arinna.
12) Virgem Maria (esta não é a virgem Maria da Bíblia)

O livro clássico do Reverendo Alexander Hislop, The Two Babylons [As Duas Babilônias], escrito em 1917 afirma que foi Sem que montou um exército e matou Ninrode (Moloque). Para garantir que os povos daquele tempo compreendessem perfeitamente a totalidade da derrota de Ninrode nas mãos do defensor de Deus, Sem desmembrou o corpo de Ninrode e enviou as partes às muitas cidades do império, para servir de advertência sobre o que aconteceria a quem se atrevesse a seguir as crenças de Ninrode.
No entanto, os aderentes de Ninrode eram muitos e estavam determinados a continuar com as práticas idólatras de seu falecido líder. Assim, seus seguidores fundaram as primeiras Sociedades Secretas com o objetivo de preservar suas doutrinas e objetivos. Estas sociedades seriam protegidas por juramentos sérios e confissões. As confissões dos iniciados eram críticas, pois uma vez que uma pessoa revelava seus erros para outra pessoa, era mantida por medo de exposição, caso deixasse a sociedade. Essa provavelmente é a razão porque Jesus Cristo disse que nada deve ser feito em segredo, e que seus seguidores não devem fazer juramentos.

Naturalmente satanás pré-criou a Deusa Mãe e depois desvirtuou a história da verdadeira Maria a divinizando, a transformando numa “Nossa Senhora”.

1. Bíblia condena a idéia de uma Rainha do Céu (Astarte, Semirâmis)
Jeremias 7:18 Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.

2. Os seguidores de Javé usavam o argumento de que possuiam prosperidade material ao seguí-la.
Jeremias 44:17 Mas certamente cumpriremos toda a palavra que saiu da nossa boca, queimando incenso à rainha dos céus, e oferecendo-lhe libações, como nós e nossos pais, nossos reis e nossos príncipes, temos feito, nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém; e então tínhamos fartura de pão, e andávamos alegres, e não víamos mal algum.

Jeremias 44:18 Mas desde que cessamos de queimar incenso à rainha dos céus, e de lhe oferecer libações, tivemos falta de tudo, e fomos consumidos pela espada e pela fome.
Curiosamente, no final dos tempos quem não seguir a religião universal ou Babilônica, símbolo do catolicismo e protestantismo corrupto não poderá comprar e nem vender (Apoc 13:11-17). Veja A Profecia das Nações para entender melhor.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Para Onde Estamos Olhando?



Vejo tantas pessoas falar de sofrimento
De casos mal resolvidos
E me bate uma tristeza uniforme
Saber que, nós estamos acostumados a olhar para o lado ruim das coisas
Que esquecemos de admirar o horizonte e as belezas que a vida nos proporciona
A correria do dia a dia nos leva a ter uma visão diversificada das coisas
Queremos está em todos lugares ao mesmo tempo e ao mesmo tempo em lugar nenhum
As pessoas estão preocupadas com seu próprio mundo
Com seus velhos problemas
Deixando de lado a visão de um futuro,
Não percebendo a dádiva do presente;

Eu aprendi que
Devemos olhar para o passado
Más dele, tirar lições para o futuro
E não viver preso a algo que não podemos mudar,
E que sonhos foram feitos para sonhar,
pois somos frutos de um sonho,
E jamais iremos além deles.

Ter um norte na vida
É valorizar cada momento como se fosse o último
É olhar para o belo ainda que seja feio
É amar sem medida ainda que tragas em teu coração a amargura de uma vida sofrida
É um não contentar-se de contente
É fazer a diferença no meio de um mundo igual
É estar livre ainda que preso
É fazer projetos para mil anos, más viver como se fosse o último dia
É dar-se sem pedir nada em troca.

Em meio a tantos "É", acabo me dando conta que no mundo que vivemos
Nós só queremos "ser" e "ter" e acabamos sendo igual aos que já são
E nossa visão fica retida a um espaço restrito
Onde só vemos aquilo que queremos ver
Dando razão ao que não compreendendo
E vivendo situações que não queriamos viver

Em meio a essa situação
De caos e destruição pessoal
Crio conflitos e jão não sei para onde estou olhando!!
Você sabe?...


Claudio Roberto

Pra Mulher Que Merece Minha Admiração


Admiro-te quando vem pra mim com um sorriso carinhoso
Quando me olha com aquele olhar manhoso
e com esse teu jeitinho dengoso
Me derrete o coração,
Já não tenho mais forças para resistir
E me entrego a você
Como um cordeirinho nos teus braços.

Admiro-te quando faz as coisas parecerem um sonho
Ainda que tudo esteja em total bagunça
A vida se transforma numa utopia
Tudo passa a ser diferente
Porque estou em teus braços.

Admiro-te por ser essa pessoa tão amada
Tão singela de coração
E tão voraz nos momentos certos
Por mim fazer feliz a cada momento que estou a teu lado
Por mim fazer sentir que ainda estou vivo
E que o mundo é belo porque você existe.

Admiro-te pela simplicidade do teu ser
Pela sabedoria que tens em controlar a situação
Por saber definir cada prioridade em nossas vidas
E por mais que eu esteja certo você é quem está com a razão

E ainda que eu usasse os mais belos versos para demonstrar a minha admiração
Faltariam adjetivos que demonstrasse o que representas para mim
E seria pouco o que de mim sair para expressar
Minha admiração por ti.

Claudio Roberto

terça-feira, 24 de novembro de 2009

loira inteligentissima (Nada contra as loiras)


Três amigas (uma ruiva, uma loira e uma morena) estavam viajando de carro quando de repente ao desviar de um buraco, capotam o carro. Nada grave, elas saem do carro e a morena diz para as outras duas:
- Ainda bem que não nos machucamos, sei que tem uma cidadezinha aqui perto, vamos andar até lá e pedir ajuda.
Todas concordaram, então a ruiva vai até o carro e pega a água do limpador de pára-brisa. A morena e a loira perguntam:
- Para que vai levar esta água?
E ela responde:
- É pra eu tomar se sentir sede antes de chegar na cidade.
A morena gostou da idéia, foi até o carro e voltou com o banco do motorista. A loira e ruiva então perguntaram:
- Para que vai levar este banco?
E a morena:
- Se eu me cansar antes de chegar na cidade, eu sento um pouco pra descansar.
Quando a morena e a ruiva começaram a andar, a loira foi no carro, arrancou a porta que estava quase caindo e correu atrás delas.
As outras duas sem entender nada resolveram perguntar pra loira pra que levar aquela porta, só para carregar peso?
E a loira toda superior respondeu:
- Amigas, alôôô… se acaso eu sentir carlor eu abro janela!!!

RED BULL é uma bomba atômica


Esta bebida está à venda em todos os supermercados e nossos jovens podem consumi-la para provar e isto pode ser mortal!

A RED BULL foi criada para estimular o cérebro de pessoas submetidas a um grande esforço físico e em "coma de stress". NUNCA PARA SER CONSUMIDA COMO UMA BEBIDA INOCENTE OU REFRESCANTE,
A RED BULL é uma BEBIDA ENERGIZANTE, comercializada a nível mundial com o slogan: "Aumenta a resistência física, agiliza a capacidade de concentração e a velocidade de reação, dá mais energia e melhora o estado de ânimo”. Tudo isso pode ser encontrado numa latinha de RED BULL, "a bebida energética do milênio!"

A RED BULL conseguiu chegar a quase 130 países de todo o mundo com um faturamento anual acima de 21 bilhões de euros na venda de 3 bilhões de latas. Os jovens e o desporto foram os símbolos eleitos pela marca para caracterizar a sua imagem, dois segmentos atrativos que foram cativados pelo estímulo causado pela bebida.
Foi criada por Dietrich Mateschitz, um empresário de origem austríaca, que a descobriu por acaso, durante uma viagem de negócios a Hong Kong, quando trabalhava para uma empresa fabricante de escovas de dente.
Uma lata de 250 ml contém 20 gramas de açúcar, 1000 mg de taurina, 600 mg de glucuronolactona, 80 mg de cafeína e vitaminas do complexo B.
Mas a verdade desta bebida é outra
A FRANÇA E A DINAMARCA acabam de proibi-la por ser um cocktail da morte, devido aos seus componentes de vitaminas misturadas com "GLUCURONOLACTONE", química altamente perigosa, que foi desenvolvida pelo Depto de Defesa dos USA, durante os anos 60 para estimular o moral das tropas americanas no VIETNAM. Seus efeitos eram como se fossem o de uma droga alucinógena, que acalmava o stress da guerra. Entretanto seus efeitos no organismo dos soldados foram devastadores - alto índice de casos de enxaquecas, tumores cerebrais e doenças do fígado.
Apesar de tudo, na lata de RED BULL ainda se lê entre os seus componentes: GLUCURONOLACTONE, catalogado medicamente como um estimulante.
Mas o que a lata de RED BULL não diz são as conseqüências do seu consumo, que obriga a colocar uma série de ADVERTÊNCIAS:

É perigoso tomá-lo se, em seguida, não se fizer exercício físico, já que a sua função energizante acelera o ritmo cardíaco e pode provocar um enfarte fulminante.
O risco de se sofrer uma hemorragia cerebral, porque o RED BULL contém componentes que diluem o sangue para que seja mais fácil ao coração bombear o sangue e assim se poder fazer esforço físico com menos esgotamento.
É proibido misturar RED BULL com álcool, porque a mistura transforma a bebida numa "Bomba Mortal" que ataca diretamente o fígado, levando a zona afetada a incapacidade de jamais se regenerar.
Um dos componentes principais do RED BULL é a vitamina B12, utilizada em medicina para recuperar pacientes que se encontram em coma etílico; daí o estado de excitação em que se fica após tomá-lo. É como se estivéssemos em estado de embriaguez.

O consumo regular de Red Bull provoca uma série de doenças nervosas e neuronais irreversíveis.

CONCLUSÃO
A RED BULL deveria ser proibida em todo o mundo, como já está sendo em alguns países, pois se desavisadamente ou intencionalmente misturada ao álcool torna-se uma bomba relógio para o corpo humano, principalmente entre adolescentes e adultos que desconheçam os efeitos letais da bebida.

Nordestinês : )


Nordestino não fica solteiro, ele fica solto na bagaceira, ou buraqueira!
Nordestino não vai com sede ao pote, ele vai com a bexiga na boca!
Nordestino não vai embora, ele vai pegar o beco!
Nordestino não diz 'concordo com você', Ele diz: Né issssso, homi!!!!
Nordestino não conserta, ele imenda!
Nordestino quando se empolga, fica com a mulesta dos cachorros!
Nordestino não bate, ele 'senta-le' a mãozada!
Nordestino não sai pra farra... ele sai pro muído, pra bagaça!
Nordestino não bebe um drink, ele toma uma!
Nordestino não é sortudo, ele é cagado!
Nordestino não corre, ele dá uma carreira!
Nordestino não malha os outros, ele manga!
Nordestino não conversa, ele diz a resenha!
Nordestino não toma água com açúcar, ele toma garapa!
Nordestino não engana, ele dá um migué!
Nordestino não percebe, ele dá fé!
Nordestino não sai apressado, ele sai desembestado!
Nordestino não aperta, ele arroxa!
Nordestino não dá volta, ele arrudeia!
Nordestino não espera um minuto, ele espera um pedacinho!
Nordestino não é distraído, ele é avoado, apombaiado!
Nordestino quando está irritado com alguém que fica 'botando banca', diz:

Homi largue de frangagem!

Nordestino não fica com vergonha, ele fica encabulado, todo errado!
Nordestino não passa a roupa, ele engoma a roupa!
Nordestino não ouve barulho, ele ouve zuada!
Nordestino não acompanha casal de namorados, ele segura vela!
Nordestino não rega as plantas, ele 'agoa' as plantas.
Nordestino não quebra algo, ele tora!
Nordestino não é esperto, ele é desenrolado!
Nordestino não é rico, ele é um cabra estribado!
Nordestino não é homem, ele é macho!
Nordestino não chama 'seu desalmado', ele grita 'infeliz das costa ôca!'
Nordestino não pede almoço, ele pede o cumê
Nordestino não come carne, ele come 'mistura'
Nordestino não lancha, merenda!
Nordestino não fica satisfeito quando come, ele enche o bucho!
Nordestino não dá bronca, dá carão!
Nordestino não fica com raiva, ele 'pega ar'!
Nordestino não casa, ele se amanceba, se junta!
Nordestino não tem diarréia, tem caganeira!
Nordestino não tem mau cheiro nas axilas, ele tem suvaqueira!
Nordestino não tem perna fina, ele tem dois cambitos!
Nordestino não é mulherengo, ele é raparigueiro!
Nordestino não se diverte, ele "bota pa decê"!
Nordestino não joga fora, ele rebola no mato!
Nordestino não exagera, ele alopra!
Nordestino não vigia as coisas, ele pastora!
Nordestino não se dá mal, ele se réia, se lasca todinho!
Nordestino quando se espanta não diz: - Xiiii! Ele diz: Viiixi Maria! Aff maria!
Nordestino não compara dizendo: - Como é que pode? Ele diz: - vôte!
Nordestino não vê coisas de outro mundo, ele vê uns malassombros!
Nordestino não é escroto, é o creca! (Adoooooooooooooro!)
Nordestino não é chato, é invocado!
Nordestino não é cheio de frescura, é pantinzeiro!
Nordestino não pula, dá pinote!
Nordestino não arranja briga, arranja intriga!
Nordestina não fica grávida, fica buxuda!
Nordestino não fica bravo, fica com a gota serena!
Nordestino não é malandro, é cabra de pêia!
Nordestino não fica apaixonado, ele arrêia os pneus todiinho!.